RN confirma mais um caso positivo de raiva em bovino

22/12/2021 13:50:00

Mossoró confirmou nesta quarta-feira (22) mais um caso de raiva animal em um bovino. Com esse, já são dois casos confirmados da doença este ano.

De acordo com o médico-veterinário e coordenador do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município, Genicleyton de Góis, o material do bovino foi encaminhado ao laboratório da Universidade Federal do Rio Grade do Norte (UFRN) ainda no mês de novembro e o resultado foi confirmado nesta quarta (22).

No dia 4 de dezembro o CCZ confirmou um caso positivo de raiva em um equino no município e outros 11 casos estavam sob investigação.

Nesta terça-feira (21), mais um equino morreu em Mossoró com sintomas característicos de raiva. O material para análise foi coletado e enviado ao laboratório.

Todos os casos positivos e suspeitos da doença foram detectados no assentamento Recanto da Esperança, na zona rural de Mossoró.

De acordo com os criadores, a morte dos animais aconteceu de 4 a 5 dias após apresentarem os primeiros sintomas.

O Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do Rio Grande do Norte (Idiarn) foi informado sobre os novos caso.

Conscientização
Equipes do CCZ, da Secretaria Municipal de Agricultura e de Saúde de Mossoró, além de veterinários da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) estão realizando desde o início do mês uma série de visitas na comunidade onde os casos foram confirmados. " Essas ações serão continuas até estabilizar tudo", explicou o coordenador do CCZ.

O objetivo das visitas é realizar palestras com orientações para os criadores, principalmente sobre a importância de vacinar o rebanho. “A grande maioria não vacina (os animais). Há sempre um trabalho de sensibilização no combate a raiva através dos criadores de animais de produção. Certamente, se esses animais estivessem vacinados, não teríamos um número tão elevado de casos”, destacou o médico-veterinário Genicleyton de Góis.

Uma dose da vacina contra a raiva em lojas de produtos veterinários custa menos de R$ 3. De acordo com o diretor de defesa e inspeção sanitária animal do Idiarn, Renato Dias, a vacinação contra a raiva em animais de produção não é um programa de vacinação compulsória, a exemplo do que acontece com a febre aftosa. A responsabilidade pela vacinação é dos criadores.

 

Raiva em humanos

 

A raiva é uma doença extremamente grave em animais e em humanos. A orientação do CCZ é que em caso exposição ao vírus ou a um animal suspeito, a pessoa procure um pronto socorro para que seja seguido o protocolo para esses casos.

Os sintomas da doença em humanos pode se confundir com os de outras doenças, como febre, moleza no corpo e indisposição, até progredir ao estágio mais avançado da encefalomielite e levar a morte.

Deixe seu comentário

0 Comentário(s)



Newsletter

Cadastre-se para receber as novidades direto no seu whatsapp.