Dorival faz mudanças e define Brasil para a estreia contra a Costa Rica

23 de Junho 2024 - 22h30

Neste domingo, o técnico Dorival Júnior confirmou as novidades na equipe titular. Guilherme Arana, do Atlético-MG, fica com a vaga de Wendell, do Porto. Na defesa, Éder Militão substitui Lucas Beraldo.

Dois grandes acertos, a meu ver. Esse Wendel parece um juvenil jogando entre adultos quando atua na seleção e o Arana, que atua no Brasil, campeonato muito mais forte e disputado, claro, é melhor opção sim.

O Militão tem mais rodagem, recuperação, confiança e imposição física que o Beraldo. Eu gosto do ex-São Paulo, mas jogar na seleção é muito mais difícil que no PSG, que só enfrenta barca furada.

Eu espero que essa imprensa demente esteja assistindo aos jogos das outras seleções, vendos gols feitos perdidos por Mbappé e Messi, entre outros, e deixe o Vinícius Júnior em paz para que ele possa render.

Lembro de uma frase de Ozires Silva, ex-presidente da Petrobras e outros cargos importantes, quando questionou representantes do comitê que escolhe Prêmio Nobel, querendo entender porque o Brasil nunca recebeu essa honraria, apesar de tanto merecimento. "Vocês brasileiros, são destruidores de heróis, dos seus herois", respondeu.

 É assim que vejo e trago para a minha praia. Idiotas metidos a entendedores, querendo passar a imagem de imparcialidade, são, na verdade, "vira latas" que têm inveja de craques brasileiros e superestimam qualquer figura estrangeira que surge. Foi assim com o Neymar, e agora com o Vini.

O time

Voltando ao assunto da estreia, o Brasil deve entrar em campo  com Alisson, Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Guilherme Arana; Bruno Guimarães, João Gomes e Lucas Paquetá; Raphinha, Rodrygo e Vini Jr. Eu tiraria o Paquetá, traria Rodrygo para a armação do jogo e escalaria Hendrick centralizado. E talvez até mesmo sacaria o Raphinha para a entrada de Marinelli.
Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado